Esse pensamento me fez lembrar de um amigo que mevoltou os olhos para mim mesmo e me fez ter inveja do pai que eu não sabia que existia dentro de mim até então.

Ao ver uma fotografia de LUIZ ” CABELO DE AÇO” CERQUEIRA (Coloque junto do nome a palavra “arembepe”no google que aparece alguma entrevista desse genial artista plástico, escultor, ativista, poeta, amigo e ser humano) embalando o sono de seu filho já crescido (16 anos) eu aprendi o que é o amor de um pai pelo seu legado e o valor de sua continuação.

Esse “Hippie” banguélo que tem mais histórias pra contar do que dread locks na cabeça me mostrou atributos que até então eu não sabia que tinha. Ele foi responsável pela construção de sua casa (a mais bonita e mais “onírica” de Arembepe) e pela cosntrução da minha personalidade…tudo isso apenas com sua hospitalidade e carinho. Sinto muito sua falta e espero poder visitar meu amigo em breve…

Ele é responsável pela união de pintura e poesia unidos na perspectiva de sua janela…

Atualmente tenho estado ocupado sendo o PAI que  aprendi a ser ao ver aquela foto.

Enquanto isso tenho lampejos de poesia que compartilho conforme posso…

Um amor perdido é como uma estrela:

Por mais inatingível e distante que esteja

Se torna nosso rumo e nos acaricia com sua luz gerada no passado

Mesmo que só agora nós tenhamos dado conta de que seu brilho é eterno.

Julio Cesar Antonio

 

…e claro um pouco de música…

 

Anúncios