Sem nostalgia, hoje fiquei feliz por saber que a criatividade e a contestação ainda estão presentes nos artistas de hoje em dia.

Embora seja bastante difícil encontrá los no meio de tantos comediantes apelativos e sem graça. Dos ditos “Comediantes de Stand Up” e da ridicularização da Ignorância do menos instruído (vê se peloas pérolas do You Tube “Para nossa Alegria e “Uíltubíu”) e dos bebuns de rua que tem seus segundos de fama (maldito Warhol tava certo…), me lembrei de um CARTUNISTA que, devido a amplitude da gama de coisas irrelevantes, merecia muito mais reconhecimento do grande público especializado.

Trata se do CARLOS RUAS, pai da tira UM SÁBADO QUALQUER (http://www.umsabadoqualquer.com/ ).

Ele trata do assunto DEUS de uma forma que agrada a quem pensa e não desagrada a quem “não pensa”, tornando o assunto bastante rico sem pender para apelação ou “heresia”.

Não sentia essa alegria desde quando tive a oportunidade de ENCOCHAR o ANGELI…(nuvens embaçadas de flash back….voltando no tempo)

Quando jovem (foi no começo dos 90..por aí vocês tiram uma idéia) eu era fã de publicações questionadoras como as revistas Chiclete com Banana, Animal e Circo.

A trinca de ázes até então eram Angeli, Laerte e Glauco (embora eu fosse fã mesmo do Fernando Gonzales pai do Niquel Náuzea e Vostradeus) que monopolizavam com mérito os louros e olhos do público.

Houve uma ocasião na qual o extinto “Centro Cultural Vitória, localizado no antigo hotel Vitória no centro nervoso de Campoinas, promoveu palestras em dias alternados com cada um dos “Los três amigos”.

Perdi a oportunidade de conhecer em vida o Glauco (minha mãe era fã do Geraldão e comprava “para mim” as revistas cheias de palavrões estratégicamente colocados em profusão), pois no dia de sua palestra eu estava fora da cidade. Na palestra do Laerte, me decepcionei pelo fato de o desenhista mais prolifico e versátil ter uma cabeça tão obtusa e opiniões tão vazias e um comportamento desnecessariamente blasê e infantil. Totalmente diferente dos resultados de suas obras (tá explicado por que hoje ele queima tanto o próprio filme…)

Para minha alegria veio a palestra do Angeli.

Me lembro nitidademente do dia: Eu ostentava cabelos compridos, volumosos e totalmente desgrenhados (apelidado de Ravengar….) e vestia uma camiseta da minha banda favorita até então: O Suicidal Tendencies.

No meio do tumulto que foi para pegar um cartoon desenhado pelo próprio Angeli, dei a sorte de acabar ATRÁS dele na mesa, sendo empurrado por uma multidão e tentando evitar que aquela onda humana cobrisse meu idolo.

Um imbecil (dono do fanzine xerocádo que eu fazia parte do corpo de desenhistas), a quem chamava de amigo até então, falou bem alto pra não passarem a mão na bunda dele.Foi bem no meu ouvido e isso me irritou ao ponto de eu reclamar com minha já voz já bem grave para meus então 16 anos: Tô caindo no Angeli, porra!)

Ele, com um sorriso sacana possível apenas para quem já fez todas as inconsequências possíveis, me disse delicadamente: “Rapaz…que viadagem toda é essa atráz de mim?”.

Educadamente ele me perguntou que personagem eu gostaria que ele desenhasse num sufite (o qual guardei por uma década até que as MINHAS INCONSEQUENCIAS me levassem a lugares onde acabei perdendo, infelizmente…gostaria de colocá lo aqui no blog). Para fugir do óbvio (todos pediam o Bob Cuspe e os Eskrotinhos) escolhi uma personagem que havia tempos ele não desenhava: O OSGARMO ( um cara com ejaculação precoce e perversões sexuais pouco ortodóxas). Ele respondeu rindo: Puta merda, carinha…nem me lembro como é a FORMA do Osgarmo…- Eu respondi rindo sem titubear: Sem problema…ele era DISFORME!

Guardei por anos aquele rosto em forma de poça de gosma ao lado de um desenho do Bob Cuspe (isso foi por conta da minha camiseta de banda Punk oitentista). A humildade e igualdade com a qual o Angeli tratou a mim e a todos os outros fãs foram o maior motivo pra eu carregar a admiração que tenho por ele e por essa fase tão produtiva da cultura nacional até os dias de hoje.

Prestigiem e tomem como exemplo do que procurar em se tratando de humor e traço.

http://www.umsabadoqualquer.com

E uma do Suicidal só pra matar saudade da época….(e para lembrar que eles vem tocar na VIRADA CULTURAL em Sampa)

Anúncios