Hoje passei a manhã pensando (enquanto tomava banho, tomava café, etc…) sobre mudanças e suas conseqüencias (desculpa o “trema” em cima do U…essa mudança ainda não ocorreu no meu cérebro…) no decorrer da vida.

Eu acredito que ninguém muda. O que muda são as circunstâncias e contextos.

Aquilo que estamos acostumados a chamar de “mudanças” não passam de adaptações e melhorias referentes a nossas necessidades e aptidões.

Claro que esse tipo de conjectura só é resultado da minha adaptação às minhas novas expectativas em relação ao que muitos encaram como “MUDANÇA”. Acreditem, não mudei em nada…minha forma de pensar é a mesma.Personalidade e comportamento são ambitos completamente diferentes e que nos confundem ao se manifestarem no trato com os outros.

Minha personalidade sempre foi muito dificil. Eu herdei a “Personalidade teimosa” de minha mãe e o “Comportamento populista” de meu pai. Isso me conferiu uma intransigência gentil e ao mesmo tempo uma inconstância rebelde que sempre foram uma faca na minha mão…ao mesmo tempo que me serviram de ferramenta, me cortaram os dedos por várias e incontáveis vezes.

Ter controle e PRINCIPALMENTE consciência (essa palavra vai se tornar cansativa nesse blog…) dessas duas características tem um papel imprescindível não na mudança, mas na MELHORIA das nossas perspectivas em relação ao nosso POTENCIAL.

Embora não pareça ter nada a ver com o assunto em pauta, vou tocar em uma força motriz envolvida nas melhorias (ou mudanças se você preferir assim…) e no emprego das duas características citadas anteriormente: A FRUSTRAÇÃO.

A frustração é bastante conhecida por todos como catalizador de crises depressivas, arroubos nervosos, rebeldias infundadas e muletas comportamentais.

Durante a vida a gente encontra figuras que tem papel importantissimo sobre o nosso comportamento e percepção do mundo. Amigos, Inimigos, Parentes ou apenas conhecidos são espelho do que esperamos de nós ou do que rejeitamos.

Convivi com pessoas (dentre elas meu próprio pai…cabeça dura demais!) que, ao se confrontarem com a frustração, com medo de terem suas PERSONALIDADES INTRANSIGÊNTES confrontadas, buscavam caminhos diferentes dos propagados pelo senso comum. Ao invés de fazer o mais adequado para corrigir um erro, buscavam uma maneira “alternativa” de errar de novo para não parecerem burras, incorrendo no MESMO ERRO COMPORTAMENTAL (acreditem…eu conheci gente profissional nisso).

Natural esse tipo de comportamento. É infantil e não passamos de crianças que só vem o próprio umbigo.

A frustração me ensinou MUITO de forma diferente e um pouco tardia.

Eu fui, durante muito tempo em minha vida, bastante resistente a opinião dos outros. Isso me tornou fechado a opiniões de gente que foi , e continua sendo importante na minha vida por ter ido embora mas continuar em meu coração….mais presente ainda com o passar do tempo e com a retomada da consciencia do valor que tem para a minha vida.

A frustração me trouxe alguem de volta a mente que confiou em algo que eu não dava valor algum. Uma característica que ficou ofuscada por causa da teimosia e da minha flexibilidade populista de dissimular as coisas conforme eu gostaria que fossem.

Meu POTENCIAL.

O nosso potencial, normalmente é esquecido devido a frustração. Meu caso foi o inverso.

A minha frustração por não ter mais perto a pessoa que INCENTIVOU o meu VALOR PESSOAL, que viu em mim a pessoa que eu poderia ser, e não que ela queria que eu fosse. Essa confusão sobre desejos e espectativas, de onde surgia um e onde iria o outro me jogaram em um redemoinho que me cegou ao ponto de eu só conseguir ver direito quando percebi o quanto sou igual a essa pessoa.

Hoje me vejo como deveria ter visto pelos olhos dela no passado. Com amor.

Ao invés de me arrepender (não vou deixar NUNCA de ser teimoso e ir contra a maré do comum e provável) eu preferí o caminho inverso: Aperfeiçoar esse potencial, dar valor as minhas aptidões e talentos. Frear a força da natureza que é a minha vontade no que for nocivo e usar a mesma força na polaridade oposta se tornaram a maneira de corrigir O RUMO da minha vida em relação ás minhas aptidões e desejos

Tudo isso tem a ver com AMOR. Embora não pareça, AMOR e ÓDIO são o mesmo, são uma mesma força com duas polaridades opostas. Frustração e satisfação são a mesma força de polaridades opostas.

Saber o ganho que vem de uma e de outra é que faz a diferença maior na evolução em detrimento a costumes infantis e orgulhos pessoais.

William Bollitho escreveu uma vez um pensamento que tem sido muito presente desde que passei a controlar a POLARIDADE de meus sentimentos:

“A coisa mais importante da vida não é “capitalizar” sobre os nossos ganhos. Qualquer idiota pode fazer isso. O que é realmente importante é tirar proveito de nossas perdas. Isso requer inteligência, e constitui a diferença entre um homem sensato e um tolo.”

Eu tenho tentado ao máximo tirar proveito disso….pero sin perder la ternura, jamás…

“O amor é de todas as paixões a mais forte, pois ataca simultaneamente a cabeça, o coração e os sentidos.”

Voltaire

 

 

Anúncios